Festa de Nossa Senhora tem celebração na Expo

O feriado religioso de 12 de outubro, dedicado à padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, será comemorado também na 55ª Expô de Rio Preto, que vai de 11 a 15/10, no Recinto de Exposições. Uma carreata, seguida missa campal, celebra os 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora.

A festa litúrgica é nacional desde 1980, comemorada também em todos os santuários e templos dedicados à padroeira. O feriado é do mesmo ano, criado pela lei nº 6.802.

As festividades no Recinto têm esta programação:

Às 9h – em frente ao palco principal, será encenado o Auto da Anunciação, espetáculo teatral da Cia Cênica, no qual uma comitiva de viajantes sertanejos relembra o nascimento de Jesus. No formato de musical, o espetáculo é ambientado em universo regionalista, apresentando ao vivo canções que integram a memória da cultura paulista. Nesse palco, é aguardada a chegada da imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Às 9h – uma carreata parte da Basílica Menor Nossa Senhora Aparecida, na Boa Vista, rumo ao Recinto de Exposições, levando a imagem para celebração de missa campal em comemoração ao jubileu de 300 anos do aparecimento da imagem nas águas do rio Paraíba.

Às 10h – no palco principal, o bispo diocesano Dom Tomé Ferreira da Silva celebra missa campal pelos 300 anos do encontro da imagem por três pescadores no rio Paraíba.

Festa religiosa
A devoção nacional a Nossa Senhora Aparecida começou em 1717, na segunda dezena de outubro, quando três pescadores encontraram uma imagem de Nossa Senhora da Conceição nas águas do rio Paraíba, escurecida pelo lodo, próximo do município de Guaratinguetá, no Vale do Paraíba.

A pesca, até então infrutífera, teria se tornado abundante, tida como uma dádiva da santa. Um dos pescadores, Felipe Pedroso, ficou com a imagem por 15 anos, iniciando-se a devoção por Nossa Senhora “aparecida” das águas.

A imagem foi tombada pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado) em 2012 como patrimônio do Estado de São Paulo. Está conservada no Santuário Nacional sob vidro blindado, visitada pelo público.

Com apoio dos romeiros e dos padres redentoristas, construiu-se uma igreja maior (atual Basílica Velha), e posteriormente o Santuário Nacional (ou Basílica, e recentemente, 2016, Igreja-Catedral da Arquidiocese de Aparecida).

Considerada o segundo maior templo católico do mundo (só perde para a Basílica São Pedro, em Roma), o Santuário recebe anualmente 12 milhões de romeiros.